Rebarba dos outros

27 03 2009

Eu não entendo essas pessoas que não conseguem dar conta do próprio trabalho e ficam largando a rebarba na mão dos outros. Nada me tira mais do sério.ferramentas
Às vezes não tenho nada para fazer no trabalho. Às vezes estou completamente atolada e preciso trabalhar durante 11 horas. Mas, mesmo nesses dias, não deixo nada para ninguém fazer. O que é minha obrigação eu faço. A parte boa e a parte ruim… não é o certo esse?

Pois é. Tem um funcionário aqui que não está muito afim de fazer a parte chata do trabalho dele e fica me pedindo ajuda. Mês passado ajudei quase os 30 dias completos. Mas, aí resolvi dizer que já estava na hora dele reassumir as tarefas. Não durou duas semanas. Hoje veio o meu chefe me pedindo para ajudar esse sujeito.

Se vira, madruga, chega mais cedo, se organiza melhor… sei lá. Dá um jeito.
O meu trabalho é muito legal. E eu não deixo sobra para ninguém.

Lá vou eu fazer a rebarba dos outros. Saco!

Anúncios




Relações interpessoais e suas dificuldades

18 11 2008

Estou concluindo que é difícil estabelecer parâmetros para relações interpessoais.
Não temos como saber se o comportamento de fulano é razoável, correto ou incorreto porque não temos nada para comparar. Existe algum modelo padrão?

relacoesOutro dia, uma colega aqui no trabalho pegou carona com uma outra. Depois de estabelecido o ponto de descida as duas seguiram juntas. Quando o tal lugar marcado chegou a que estava dirigindo deixou a outra no meio da rua. Isso. Deixou assim, meio que parando no sinal. Não encostou o carro e zelou pela segurança. Rolou um “se vira aí para descer, afinal eu já lhe trouxe até aqui”.

Já eu. Bom, eu fui cometer o ato falho de pedir para um colega de trabalho buscar um copo de água para mim. Nada de abuso. Ele estava levantando e indo na mesma direção. A resposta foi: “Eu estou indo escovar os dentes”. Eu fiquei olhando com cara de interrogação. Meu pensamento na hora era “mas o bebedouro é ao lado do banheiro, você vai passar por lá”. Não disse nada. Ele seguiu e eu acabei indo buscar, por conta própria, a minha água.

Até quando devemos esperar que as pessoas sejam gentis conosco? Ou, a partir de qual momento nós é que estamos sendo abusados achando que todos precisam ser deliberadamente amáveis?
Se eu ganho uma carona devo esperar descer num lugar específico ou qualquer lugar (até mesmo o meio da rua) está bom? Se peço um favor simples devo sempre esperar um ‘sim’ por resposta?

Relacionamentos interpessoais são tão difíceis quanto… Humm… Não sei…
Relacionamentos interpessoais são tão difíceis. E ponto.