Meus melhores beijos serão seus…

6 05 2009

iloveyou1

 

 

 

 

 


Sinto que você é ligado a mim
Sempre que estou indo, volto atrás
Estou entregue a ponto de estar sempre só
Esperando um sim ou nunca mais

Sinto absoluto o dom de existir,
Não há solidão, nem pena
Nessa doação, milagres do amor
Sinto uma extensão divina

É tanta graça lá fora passa
O tempo sem você
Mas pode sim
Ser sim amado e tudo acontecer
Quero dançar com você
Dançar com você

(Amado – Vanessa Da Mata)





O encaixotar da vida

29 04 2009

caixas3 

 

E eis que ver mudanças traz ao coração nada mais do que dor e separação.
Tirar coisas de seus lugares e rearrumá-las em caixas, que depois serão lacradas com fitas adesivas, etiquetadas… são ações que exigem tempo, força, coragem, desapego.
Tirar sua vida daqui, guardá-la e depois levá-la para outro lugar.
É isso que estão fazendo comigo. Estão me tirando daqui, tirando minhas coisas do lugar e levando para longe. No entanto, eu permaneço onde estou… mas, sem nada. Sem nada mais.
Talvez, se eu também mudasse… se eu encaixotasse também…

ENCAIXOTAR – Conjuntivo/Subjuntivo
Pretérito imperfeito
se eu – encaixotasse também
se tu – encaixotasses comigo
se ele/ela – encaixotasse
minha parte
se nós – encaixotássemos juntos
se vós – encaixotásseis por mim
se eles/elas – encaixotassem
para sempre

… talvez assim seríamos, ainda que na imperfeição do pretérito, conjuntivamente felizes. Talvez.





Eu quero falar de amor

28 04 2009

Aí nos reencontramos e estamos juntos.
Tem sido fantástico estar com o namorado esses dias. E tenho lutado de todas as formas possíveis não ficar pensando que a despedida acontece no final da semana.lightbrush_heart

Então, como a gente sempre fala muito sobre aquilo que o nosso coração está cheio, o post de hoje é uma piadinha interna, coisas de namoro, e uma homenagem debochada ao namoradhinho. Obrigada por lerem!

“Lady, your love’s the only love I need,
And beside me is where I want you to be
‘Cause my love, there’s something I want you to know
You’re the love of my life; you’re my lady”

(Lady – Lionel Richie)





O encantamento e as coisas do amor

16 02 2009

friendship2Engraçado como nos encantamos por pessoas, coisas e acontecimentos sem nem mesmo nos esforçarmos para isso. Simplesmente acontece.
Normalmente é tudo muito bom. Vivemos os momentos com aquela sensação de felicidade/alegria/descoberta que é peculiar nessas horas de amor e encantamento.

Neste final de semana houve algo assim.
Juntamos um grupo de amigos para comemorar o aniversário do namorado.
Chegamos na sexta à noite para o churras – que deveria ter sido surpresa – e só fomos embora no sábado, minutos antes de atrasar o relógio em uma hora, novamente. Foram lá 20 e tantas horas de amizade, companhia, jogos e muita muita conversa sobre tudo. Direto. Sem parar. Fulltime. All day long.

É gostoso deixar novas pessoas participarem da sua vida. Creio que foram poucas as vezes, na minha história, que percebi que isto estava acontecendo. Que bom que desta vez está sendo tão facilmente perceptível.

Que venham então os novos amigos. Pelo tempo que durarem.
Sejam bem-vindos.





As mãos e o seu entrelaçar

15 12 2008

maos1Curioso como entrelaçamos as mãos. É engraçado quando o relacionamento chega em um ponto que, não obrigatoriamente, as mãos precisam ser dadas. Estamos nós andando no shopping, na praia, seja onde for. Se estivermos acompanhados dos respectivos… provavelmente nossas mãos estarão juntas.

Mas, o encantador disso não é o fato das mãos quase sempre estarem juntas. É o quanto esse simples gesto acaba significando. Ou, tornando-se necessário. Depois de um certo tempo as mãos se procuram. Sentados, em pé, andando, de carro, deitados … as mão se procuram.

Por quê?





A saudade intensifica o amor?

30 10 2008

Ando pensando de onde será que vem a saudade. O que faz a saudade aparecer? Às vezes sentimos saudades de alguém que vimos ontem. Que vimos hoje pela manhã. Ao mesmo tempo que sentimos saudades de pessoas que não vemos há meses, anos… Qual a diferença? Ou semelhança entre esses dois casos que geram o mesmo sentimento?

Na verdade, eu queria saber o que gera a saudade. Seria o amor? Só sentimos falta de quem amamos? Curioso que, de repente, ao sentir saudade nós nos vemos amando plenamente. Talvez a saudade seja a forma mais plena do amor. O amor que não dói, que não lembra de mágoas e que não tem expectativas além das que se referem ao próximo encontro. Seria a saudade uma forma de amor?

Se for o caso, porque todos buscamos aniquilar a saudade? A existência dela não prova a existência do amor? Vale a pena domar o amor? Torná-lo ameno? Mitigá-lo? Não queremos todos morrer de amor? O amor que é eterno? E a sensação de coração apaixonado não nos deixa perdidamente felizes? Estou confusa.

É a saudade que intensifica o amor? Ou o amor que potencializa a saudade?





Dias de amor merecem comemoração?

10 10 2008

Opiniões masculinas servem para sentimentos femininos?


Os meninos aqui do trabalho, mês passado, me criticaram porque estava comentando que comemoraria aniversário de namoro. Não aniversário de ano, mas aniversário de mês. ‘Isso é totalmente desnecessário!’, ‘Nunca ouvi falar nisso!’. Chamaram mais três pessoas, entre homens e mulheres, e me colocaram no paredão: “Gente?! Renata Fernanda comemora aniversário de mês de namoro.”

Primeiro: a idéia não foi minha. Logo, não achem que estou forçando o meu namorado a isso.
Segundo: o, junto comigo, aniversariante, sempre se mostrou muito feliz com essas comemorações, tá?!
Terceiro: essas implicâncias – que soam como brincadeira – só servem para colocar pulga atrás de orelha da gente. Fato!

Aqui estou eu. Hoje. Aniversário. O que fazer?
Então, lhes pergunto: Dias simples de amor merecem comemoração?