Amigo não se abstem

5 04 2009

Aconteceu uma coisa estranha comigo essa semana.
Me fez pensar no seguinte:1094303_3_friends_5

Muitas coisas mudando na minha vida. Coração sensível, namorado de mudança para outro estado, medo, confusão, ao mesmo tempo, alegria, orgulho, alívio… Os últimos dias foram confusos, estive um pouco perdida de tudo. E, em alguns momentos, me fizeram perder também, dos meus planos, sonhos…

Nessas horas difíceis é que contamos com os amigos. Os amigos…
Amigos são aqueles que não são mais chamados de colegas. Não são sua família, não são irmãos, não tem autoridade sangüínea nenhuma na sua vida. No entanto, ao mesmo tempo, são tudo isso. São tão amados que consideramos irmãos. Sabem tanto de nós que acolhemos os conselhos como se fossem nossos pais. Estão  sempre tão próximos, físico ou emocionalmente, que se mexerem com eles mexem conosco também. E vice-versa.

Amigo não se afasta quando nosso coração está doendo porque ele sabe que pode – e muito – fazer sarar. Amigo não tem medo de incomodar, porque nunca incomoda. Amigo sabe o quão próximo pode ficar. A quantos passos de nós pode chegar. Amigo ampara, amigo apóia, segura a mão, guia, amigo guarda, amigo expõe. Protege.

Esses dias andei contando com amigos que, no momento de se aproximar… se afastaram.

Amigo não se abstem! Nunca!





Eu não sei beber

1 04 2009

Aí eu fui encontrar com uma amiga, né?! Ontem.
Dessas amigas que você não vê nunca e precisa marcar um evento especial para poder reencontrar? Então. Foi assim.

cervejaChegamos juntas no bar. Se tivéssemos marcado não conseguiríamos tal sincronismo. Abraço, sorrisos, escolhemos uma mesa na área de não-fumantes e sentamos. Nenhuma das duas tinha fome, então pedimos logo o chopp. Eu pedi um meio avermelhado, ela pediu o amarelo convencional.

Tim-tim. Começou a conversa.
Papo vai, papo vem… ela é da Armênia, né?! No meio da conversa, pulseiras, anéis, brincos e colares já estavam descansando em cima da mesa. Ela tem essa mania. Sai de casa toda arrumada, mas chega uma hora que ela se desfaz de tudo e fica só ela mesma. Engraçado. Bem a cara dela… Arminé. Acabou o chopp. Repetimos o pedido.

Tim-tim. Voltamos à conversa.
Papo vai, papo vem… tudo começou a ficar em câmera lenta. Ela falava, eu entendia, mas a minha reação vinha depois. Eu olhava para ela, mas a sensação que tinha era de que não conseguia olhar. Falei umas coisas, no meio da conversa, e percebi que duas palavras não saíram. Elas estavam na minha cabeça, mas não encontraram o caminho da boca. “_Arminé? Estou meio bêbada… preciso comer alguma coisa.”. Ela riu.

Pedimos um negócio lá que tinha pimenta. A segunda rodada de chopp acabou. Ela pediu mais… para as duas.
Pela primeira vez na minha vida tive um terceiro copo de cerveja/chopp para beber.

Tim-tim. Continuamos a falar da vida.
Eu segui feroz no salgadinho com pimenta… mas, não adiantou muito. Continuei dormente o resto da noite.
Ela me levou na casa do namorado. E, a última coisa que me lembro foi de contar para ele sobre uma barata que passeava no pescoço do cara que estava sentado na mesa ao lado.

Oi? Barata? No pescoço de alguém?
É! Definitivamente eu não sei beber…





Nada mais a dizer, que não…

30 03 2009

… “perfectly and incandencently happy”!!

amor2





Ano novo, vida nova.

6 01 2009

Não sei quanto a vocês, mas o meu ano novo foi bem feliz e os primeiros dias do ano têm se mostrado dignos de um prognóstico de muita alegria.
Sendo assim, já que estamos – desse lado de cá – seguindo a premissa de ‘ano novo, vida nova’, resolvi trocar o look do blog.

O cabeçalho continua sendo Florença. Visto que essa é a nossa meta de vida. Um dia vamos lá. Mas, as cores precisavam ser mudadas e, com elas as geometrias complementares dos textos.

Que esse ano seja assim, cheio de mudanças bonitas, novidades felizes e metas plausíveis e alcançáveis!

=)